Conquiste a sua independência e saia do aluguel - Setpar Empreendimentos

Conquiste a sua independência e saia do aluguel

22 fevereiro 2019

Se você já sabe tudo sobre pagamento de aluguel e quer conquistar sua independência, chegou então a hora de mudar a sua vida.

Como já dissemos, o sonho da casa própria é uma unanimidade entre os brasileiros. Para quem vive de aluguel, então, o desejo pela independência financeira que permita uma mudança é ainda maior. Ainda que existam propostas atraentes de locação no mercado, nada se compara ao imóvel próprio. Ninguém quer ter de lidar indefinidamente com os reajustes no valor dos contratos. Mas afinal, você sabe quais são os primeiros passos para começar a conquistar a sua independência e sair do aluguel?

É preciso seguir alguns critérios e práticas financeiras que possibilitam a conquista deste objetivo. Relevante é entender também como as análises de crédito, consórcios e simulações de financiamento influenciam no processo. Antes de tudo, aprenda a gerenciar melhor o seu salário para poupar, aumentar o seu patrimônio e evitar as dívidas. Este é apenas o primeiro passo na estrada da independência financeira. Confira mais a respeito no próximo tópico. Como obter sucesso na compra de um terreno

Organizar seus gastos é um dos principais passos para a conquista da independência.

Organize-se e economize para começar a conquistar a sua independência e sair do aluguel!

Uma vez estabelecido que a sua meta é dizer adeus ao aluguel, organize-se e repense todos os seus gastos. Demarque as suas prioridades e segmente as despesas, discriminando o que for essencial de todo o resto. O ideal é que o valor das despesas básicas chegue no máximo a 50% da sua renda. Do montante que resta, procure guardar uma parte para o futuro imóvel. Alcançar uma média de 30% fará muita diferença. Use estas medidas para criar uma espécie de fundo-independência. Criar prazos e metas ajuda neste processo.

Quem possui salário fixo terá maior facilidade para se organizar, ainda que muita disciplina seja recomendável. Para os que possuem ganho variável é necessária maior atenção aos gastos, mas a economia é perfeitamente viável. Nos dois casos, sempre que for possível, busque por uma renda extra. Seja atividades freelancer em home office ou uma função como a de Uber. Todo valor que possa entrar no seu “fundo-independência” é bem-vindo.

Métodos para economizar e detalhes a observar

Um método que pode ajudar na sua economia é a regra 50-15-35. Basicamente, o que se estabelece é que metade da sua renda seja voltada para os gastos essenciais, como mencionado anteriormente. No mínimo 15% deve ser poupado. Os 35% que sobram são destinados à manutenção do seu estilo de vida.

Nada impede, no entanto, que você faça uma ligeira adaptação nas contas. 50-20-30, por exemplo. Podendo até mesmo variar o destino dos dois últimos valores de acordo com a sua situação. Apenas os custos fixos mantêm-se sempre da mesma forma. Além disso, evite gastar no cartão para que as dívidas não saiam do seu controle os juros criem maiores problemas.

Pesquise bem o imóvel do seu interesse para que ele seja compatível com a sua realidade financeira. Dê preferência também pela localização que se mostre mais favorável. É próximo ao trabalho? Da casa de parentes? Em resumo, encontre o local ideal. Tenha em vista ainda, que por se tratar de um investimento, o imóvel poderá se valorizar no futuro.

Financiamentos e entradas

Você economizou e encontrou o imóvel ideal para as suas necessidades? Então chegou a hora de escolher a forma de pagamento. Em razão do alto valor de uma casa, ou apartamento, pagar à vista é quase sempre inviável. A fim de distribuir o valor de forma mais acessível para a população existem os financiamentos e consórcios.

No financiamento o comprador dá uma entrada, que pode ser o dinheiro economizado ou um valor oriundo do FGTS. Em ambos os casos, quanto maior for o valor, menores as mensalidades e a duração total do pagamento. Atenção, no entanto, às exigências das financiadoras. Pois é preciso estar com o nome limpo e comprovar renda, além de pagar taxas semestrais ou anuais. Estas últimas são as parcelas intermediárias, um pouco acima do valor das mensalidades padrão.

O consórcio, por sua vez, não exige uma entrada, bastando o pagamento das mensalidades adaptadas à sua realidade financeira. As parcelas aqui são fixas, sem as variações do financiamento. Também não há incidência de juros. Ao cumprir o período de carência, prazo de pagamento ou ser contemplado por sorteio, o final da compra será antecipado.

Estes são os primeiros passos para começar a conquistar a sua independência e sair do aluguel. Em todos os casos, não se esqueça de manter uma reserva para os gastos extras. Afinal, ao se mudar pode ser necessário fazer reformas ou mobiliar a nova casa. Tenha disciplina, planeje os detalhes deste caminho, e você terá a conquista do imóvel próprio ao seu alcance.