Qual é a diferença entre IPCA e IGP-M? - Setpar Empreendimentos

Qual é a diferença entre IPCA e IGP-M?

1 julho 2020

Existem vários índices de inflação e muita gente fica bastante confuso com eles, não é mesmo? Se você está aqui, neste momento, acredito que essa confusão esteja aí na sua cabeça, acertei?

Bom, então vamos tentar te ajudar e explicar a diferença entre dois dos principais e mais utilizados índices no país: o IPCA e o IGP-M.

De maneira simples e rústica, cada índice mede a inflação de uma cesta de produtos diferentes. E cada um deles reflete com maior precisão como os preços subiram ou desceram, em média, para determinado perfil de consumidores.

O popular IPCA, que é o Índice de Preços ao Consumidor Amplo, é medido pelo IBGE mensalmente e é o principal índice de inflação do país, já que nele são medidos os itens mais consumidos por famílias com renda mensal entre 1 e 40 salários mínimos, como por exemplo o transporte, a alimentação, comunicação e habitação.

Já o IGP-M é o Índice Geral de Preços do Mercado, e busca replicar a inflação para toda a população, sem níveis de renda. Calculado pela Faculdade Getúlio Vargas (FGV), o IGP-M é composto por outros 3 índices (IPA, IPC e INCC), com a divisão de 60%, 30% e 10%, respectivamente. Sua inflação é baseada no mercado de atacado (principalmente no setor Industrial) e também muito focada no mercado financeiro e mercado imobiliário (principalmente aluguéis). O IGP-M também possui uma relação muito forte com o dólar americano.

Quero comprar um terreno, qual é o melhor índice?

Tecnicamente falando, como os dois são coletas de preços e de variações, podemos afirmar que ambos sempre seguem a mesma tendência. Porém, o IPCA apresenta-se mais estável com o passar do tempo no financiamento e tende a levar uma ligeira vantagem em um financiamento, por exemplo. Isso porque suas variações não são grandes e tendem a manter o valor sempre próximo ao que foi pago no mês anterior, ou até mesmo igual. É um índice que tende a ser reajustado de acordo com a coleta de preços ligado aos principais consumos do brasileiro.

O IGP-M, nesse caso, atua de forma contrária com muita instabilidade e sofrendo grandes variações durante o ano, seja para saldos positivos ou negativos. O custo alto da construção, por exemplo, possui forte influência nessa instabilidade do IGP-M.

Esses foram os índices de janeiro de 2018 até março de 2020. O gráfico mostra que o IPCA oscila menos do que o IGP-M, o que interfere menos nos valores pagos pelos consumidores.

Assim, podemos dizer que que o IPCA, atualmente, é o índice que está mais ligado a realidade dos brasileiros e do consumo em geral.