Busca por casas em condomínio fechado aumentou 15% na pandemia

Busca por casas em condomínio fechado aumentou 15% na pandemia

17 dezembro 2020

Sem dúvida você poderia enumerar as transformações que a pandemia do coronavírus provocaram em sua rotina. Arrisco afirmar, que entre elas, você desejou morar em um lugar com mais espaço, assim como as casas em condomínio fechado, certo? Fique tranquilo, você não está sozinho!

Entre as numerosas mudanças comportamentais que foram “empurradas” pela pandemia, o desejo de encontrar uma residência maior está entre as primeiras da lista. Motivos não faltam para confirmar essa necessidade: mais espaço para as crianças, mais conforto para quem está trabalhando, mais ambientes para quem precisa relaxar.

Assim, ao longo dos últimos meses, o mercado confirmou uma tendência que já dava sinais de crescimento desde o início do ano: a busca por casas em condomínio.

Antecipando projetos

Milhões de brasileiros perceberam que sim, é possível trabalhar em casa, produzir mais e ainda aproveitar o prazer do home office. Por outro lado, muita gente se deu conta que não tinha espaço suficiente para isso.

Dessa forma, em pouco tempo os apartamentos, que antes eram sinônimo de praticidade justamente por serem menores e ocuparem endereço em áreas centrais das cidades, “perto de tudo”, ficaram apertados do dia pra noite. Resultado: a procura por casas em condomínio fechado disparou.

Em todo o Brasil, os números confirmam a alta na procura por terrenos e casas deste tipo. Segundo o portal Quinto Andar, houve aumento de 15% nas buscas por casas em condomínios no segundo trimestre do ano, quando comparado ao primeiro trimestre.

Para especialistas do setor, ainda que o mesmo período sinalizasse o temor financeiro do mercado em relação ao vírus, muitas famílias decidiram realizar alguns projetos de vida – como por exemplo, morar em um condomínio – e resolveram antecipar o futuro.

Mais liberdade, menos ameaças

Sem dúvida, a qualidade de vida é um dos principais atrativos das casas em condomínio. Afinal, morar em um espaço assim é ter acesso a mais áreas verdes, espaço de lazer e serviços exclusivos como academias e salões de festas.

No entanto, agora, essa expressão ganha outro sentido: a fuga de aglomerações, reuniões, trânsito, poluição e da correria que as regiões centrais abrigam.

Um exemplo disso é que mesmo no auge do isolamento social, quem já morava em condomínios não precisou renunciar às caminhadas diárias ou às visitas das crianças ao parque infantil. Em outras palavras, as famílias tinham acesso não só a mais liberdade, mas também a certeza de reduzir as ameaças externas.

Oportunidades

Há quem diga que toda crise oferece muitas oportunidades. Assim também, experts do mercado de imóveis garantem que não existe imóvel ideal, mas excelentes oportunidades.

Neste sentido, quem acompanhou a queda da taxa Selic para 2% ao ano, além da diminuição dos juros que deixam outras operações menos atrativas, não perdeu tempo. Investiu em imóveis, um mercado seguro e rentável. E claro, assegurou a casa dos sonhos em um condomínio.

Além do espaço e segurança – dois itens de valor imensurável, hoje – existem outros benefícios oferecidos pelas casas em condomínios. A oportunidade de sair dos centros urbanos, sem abrir mão de ótimas localizações, por exemplo.

O SetLife Residence Club, por exemplo, está na melhor região entre São José do Rio Preto e Mirassol, no Noroeste Paulista. Localizado às margens da Rodovia Washington Luís, tem acesso rápido até as principais avenidas das duas cidades e do clube Monte Líbano, um dos mais tradicionais da região.

Além claro, da experiência de morar no único condomínio da região com conceito “clube residencial”, uma proposta que soma qualidade de vida a ambientes de lazer exclusivos.

Gostou da ideia? Se quiser saber mais sobre o SetLife Residence Club é só clicar aqui. E para acompanhar outras notícias como essa, não deixe de se inscrever aqui, no blog da Setpar.